Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Forquilhinha discute melhorias no atendimento das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Publicado em 28/04/2021 às 17:27 - Atualizado em 28/04/2021 às 17:27

 

O autismo foi tema de reunião com representantes do Governo de Forquilhinha, Câmara de Vereadores e Grupo de Autismo e Inclusão de Criciúma e região (GAICR), nesta quarta-feira, dia 28, no Paço Municipal. A gestão estuda a implantação do projeto Atenção Integral à Infância que tem como objetivo atender de forma integral, independentemente de suas especificidades cognitivas ou demais individualidades inerentes, viabilizando o aprendizado para todas as crianças.

A iniciativa do Governo Municipal é complementar o projeto aprovado na Câmara de Vereadores, que estabeleceu a Política Municipal de Proteção dos Direitos das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). O documento conta com 12 diretrizes para promover o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoas diagnosticadas com TEA, visando a sua inclusão social e cidadania.

De acordo com a Conselheira Estadual de SC, da Rede Unificada Nacional e Internacional pelo Direitos dos Autistas, Elaine Cardoso, a proposta inicial é que possam ajudar a estas famílias. “A intenção é reunir dados de todos os municípios e as leis em vigor para atender a demanda dos familiares. Que os pacientes possam ter um atendimento precoce, acompanhamento multidisciplinar, além da capacitação de professores e escola. Se pensar na oportunidade e estimular o projeto”, destaca.

O prefeito José Cláudio Gonçalves, o Neguinho enfatizou que o projeto visa oferecer um tratamento especial, técnico e eficaz para o atendimento as crianças. “A preocupação do Governo de Forquilhinha é ampliar as ações previstas na Política Municipal voltada ao Transtorno do Espectro Autista. Queremos que o projeto seja eficiente e tenha resolutividade mediante a demanda existente no município”, declara.

O vereador Dinho Rampinelli (PL), autor da elaboração da Política Municipal, comentou a preocupação das famílias. “Muitos pais não conseguem vagas para oferecer um tratamento adequado aos seus filhos diagnosticados com autismo, seja com grau leve, moderado ou grave. Ações voltadas ao TEA vão proporcionar um diagnóstico e tratamento melhor em Forquilhinha”, comenta.    

Durante o encontro ficou definido os próximos três passos para a implantação do projeto. São eles, a capacitação dos profissionais da rede municipal, a busca por diagnóstico e a viabilidade de um espaço para atendimento.  

O vice-prefeito Valcir Antonio Matias (Chile), o presidente da Câmara, Célio Elias, a vereadora Marilda Casagrande, o secretário de Educação Félix Hobold, representantes da Rede Unificada Nacional e Internacional pelos Direitos dos Autistas (Reunida) e demais membros do Governo também participaram do encontro.